Leve – Jorge Vercilo

Leve
Levitar dos colibris
Graciosamente breve.
Como pode tão feliz?
Censurar, ninguém se atreve.

Não precisam inventar
Qualquer coisa que me eleve
Basta teu sorriso pra dispensar
Asa-delta e ultra-leve.

Se carece de definição: me sinto leve.
Céu azul na bolha de sabão que o vento leve
Como folha, ao coração.
Ao te refletir, um espelho em si
Vira quadro, vira arte.
Salvador Dalí não ousou imaginar-te

E eu me sinto flutuar,
Maravilha que me elege,
Feito pipa pelo ar,
Mar azul na areia bege

Como brisa à me beijar
Teu carinho me protege.
Me abraça, me derrete ao brincar
Como o mar no IceBerg

Com você não tem explicação, me sinto leve.
Céu azul na bolha de sabão que o vento leve como folha ao coração.
Ao te refletir, um espelho em si
vira quadro, vira arte.
Salvador Dalí não ousou imaginar-te

Se carece de definição: me sinto leve.
Céu azul na bolha de sabão e o vento rege como folha ao coração.
Ao te refletir, um espelho em si
Vira quadro, vira arte.
Salvador Dalí não ousou jamais imaginar-te

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s